BOA VISTA LTDA-ME IMPLANTA DESTILARIA DE ÓLEOS ESSENCIAIS ORGÂNICOS

Dando sequência ao projeto “P&D de uma cadeia produtiva sustentável de óleos essenciais orgânicos”, desenvolvido na região entre 2013 e 2016, com apoio da FINEP, a Boa Vista Ltda. decidiu ampliar o foco de sua atuação incorporando, para além do trabalho de consultoria, um setor de produção de plantas aromáticas e medicinais e produção de óleos essenciais orgânicos, a partir dessas plantas. A empresa incorporou novos sócios e alterou sua razão social para Boa Vista Óleos Essenciais e Consultoria, permanecendo com o mesmo CNPJ.

Os óleos essenciais orgânicos produzidos serão fracionados em embalagens de 10ml para o mercado varejista, mas poderão também ser comercializados em embalagens maiores para o outros mercados e também destinados ao programa Farmácia Viva mantido pela Prefeitura Municipal de Santa Rosa de Lima-Secretaria Municipal de Saúde, com apoio do SUS.

Os cultivos e/ou coleta e produtos finais acabados terão sua condição orgânica certificada por certificador independente, credenciada junto ao MAPA.

Uma pequena destilaria para extração de óleos essenciais por arraste a vapor, com capacidade para cerca de 200 kg de plantas/dia foi implantada, em Santa Rosa de Lima, estando na etapa de teste dos equipamentos e dos procedimentos de extração para as diferentes espécies.

Em etapas próximas está nos objetivos da empresa a utilização de parte  desses óleos essenciais na produção de cosméticos orgânicos ou mesmo aromas para a indústria de alimentos.

Os resíduos da destilação (massa vegetal) serão enriquecidos e compostados para serem comercializados como adubo orgânico.

Duas estufas para a produção de mudas de plantas aromáticas e medicinais estão sendo implantadas, as quais serão distribuídas aos pequenos agricultores integrados ao projeto.

O sistema de integração será conforme a Lei 13288/2016, que assegura total transparência nas relações entre os integrados e a empresa integradora.

O processo de licenciamento ambiental para funcionamento da destilaria está protocolado junto ao órgão responsável de Santa Catarina, conforme a legislação vigente.

Os óleos essenciais orgânicos serão comercializados com a marca Aracuã, belo pássaro, muito presente na Mata Atlântica que circunda o local onde a indústria está instalada.

REFERENCIAL OPENBOX.AI DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

A CONSULTORIA BOAVISTA, focada em projetos sustentáveis e a OPENBOX.AI, fintech focada principalmente no adiantamento de recebíveis, desenvolveram um Referencial de Responsabilidade Socioambiental, de caráter privado, que será aplicado junto as empresas clientes da Openbox.ai que voluntariamente assim o desejarem.

O atendimento aos critérios do referencial será auditado pela ECOCERT BRASIL, certificadora independente contratada para isso.

Empresas que atingirem a classificação mínima exigida pelo referencial, cuja conformidade for atestada pela certificadora, receberão uma licença de uso do selo de qualidade previsto no referencial técnico e farão jus a taxas diferenciadas nas suas operações financeiras com a Openbox.ai.

A Responsabilidade Socioambiental significa “integração voluntária, pelas empresas, de preocupações sociais e ambientais às suas atividades comerciais e às suas relações com seus parceiros” (Comissão Europeia, 2001).

Em outras palavras a empresa socialmente responsável não se preocupa unicamente de suas performances econômicas, mas integra em seus objetivos a proteção do meio ambiente e o bem-estar social. Ela é, portanto, voluntariamente, mais atenta as preocupações dos parceiros: assalariados, acionistas, clientes, fornecedores, sociedade civil. 

A Responsabilidade Socioambiental comporta três dimensões: em relação aos assalariados da empresa, em relação a sociedade e em relação ao meio ambiente.

Em relação aos assalariados: Formação para os empregados, melhoria da compatibilidade entre família e trabalho, processo de recrutamento e demissões não discriminatório, participação nos resultados ou no quadro de acionistas, respeito a um padrão mínimo sobre os locais de produção externos, preocupação com a saúde e segurança.

Em relação a sociedade civil: Promoção de iniciativas de formação, culturais, ambientais, sociais, em favor do emprego, esportivas, marketing ético.

Em relação ao meio ambiente: Reciclagem do lixo, redução do consumo de energia, exploração de energias renováveis, uso reduzido de recursos naturais, medidas para redução de emissões poluentes, respeito as regras internacionais, balanço ecológico.

Projeto valorização do Porco Macau

Jovens agricultoras em jornada de fabricação dos produtos derivados do Porco Macau

Em dezembro de 2016 teve início em Santa Rosa de Lima um projeto inovador e que tem como objetivo a fabricação de produtos de alto valor histórico, cultural e social agregados, derivados da carne do Porco Macau, suíno de origem ibérica introduzido no Brasil no Século XVI e ainda criado na região e em muitas regiões brasileiras, normalmente para autoconsumo de carne e banha. A tecnologia impulsionada pelo projeto visa a geração de trabalho e renda na agricultura familiar, especialmente para jovens mulheres agricultoras. A iniciativa é impulsionada pela Prefeitura Municipal de Santa Rosa de Lima e pelo Centro de Formação em Agroecologia, e conta com apoio, voluntário, de um técnico da Boa Vista Ltda, bem como de profissional do Serviço de Inspeção Sanitária do município, além de um grupo de 20 cidadãos voluntários, que adquiriram por antecipação os produtos fabricados por 8 jovens mulheres agricultoras a partir da carne do Porco Macau. As jornadas de produção ocorreram no Centro de Geração de Renda, administrado pela Prefeitura, em cozinha adaptada para a transformação de carne de suínos em condições adequadas de higiene e prevenção. Cerca de 10 produtos de alto valor agregado (econômico, social, histórico e cultural) foram fabricados pelas jovens agricultoras, com orientação de um “chef de cozinha”e uma jovem agricultora, que foram enviados à França para um estágio de formação de 3 meses, no quadro do acordo de cooperação entre o Centro de Formação em Agroecologia, a associação Soleil e o Liceu Agrícola de Laval. Os produtos foram degustados e avaliados em evento realizado em Santa Rosa de Lima, com a presença de lideranças, autoridades, jovens agricultores, técnicos e jornalistas, com resultados amplamente positivos. Neste momento duas jovens mulheres agricultoras, já capacitadas, preparam-se para implantar uma pequena agroindústria para produção e comercialização dos produtos no mercado regional. O  Serviço de Inspeção Sanitária de produtos de origem animal do município apoia a iniciativa, o que permitirá  comercializar os produtos junto a lojas especializadas e outros clientes terceiros, além da venda direta a consumidores. As expectativas de todos que se envolveram nessa iniciativa inovadora são muito positivas quanto ao potencial da iniciativa na geração de oportunidades de trabalho e renda na agricultura familiar, especialmente para jovens mulheres agricultoras. Adicionalmente espera-se um aumento da autoestima das pessoas ao valorizar e apresentar aos consumidores brasileiro produtos fabricados a partir da carne do Porco Macau, que agrega muitos valores sociais, históricos e culturais.A Boa Vista Ltda continua a testar e desenvolver novos produtos com objetivo de apoiar a iniciativa das jovens agricultoras.